A teologia de Tomilho da Cruza. Boas novas com cheirinho de bossanova.

Por Joevan Caitano

"Toda a unanimidade é burra" (Nelson Rodrigues)





Sábado passado, dia 06/02/2010, fui assistir o concerto do Cello Samba Trio, realizado no teatro de Arena na Caixa Cultural ali no largo da Carioca. O trio é composto pelo maestro Jaques Morelenbau no violoncelo, Lula Galvão no violão e Rafael Barata na bateria.

Quando o show começou, minha amiga Gê ficou impressionado com a musicalidade do batera Rafael Barata, porque ele tocava com a alma. Ele acompanhava dando suporte rítmico a batida harmônica de Lula Galvão, e sobretudo, à grande estrela da noite, o solista Jaques Morelenbau.

Enquanto o som rolava solto, a platéia assistia com olhos fitos, envolto pela imensa beleza em forma de samba e bossa nova. Me lembrei das aulas de acompanhamento ao piano em 2002 no STBSB, quando a professora Stella Júnia dizia: "O acompanhador precisa resolver a coisa, por isso, deve ser versátil, sensível e atento ao clima, às sinuosidades e às sutilidades em meio à sonoridade mutável". Rafael Barata deu uma aula de como acompanhar um solista, às vezes batucando com variedade de intensidade, e às vezes obedecendo às pausas, pois toda a unanimidade rítimica, melódica ou harmônica é búrrica, porque embola tudo e encobre a grandeza dos detalhes.

Há mais de dois mil anos atrás, o Apóstolo João pregava no deserto atuando como solista, e haviam pessoas que o acompanhavam, entretanto, quando aclamaram-o como estrela e dono da cocada, ele com humildade e simplicidade disse: "Por enquanto, sou solista, porém, virá Aquele que é maior do que eu, cujo eu não sou digno nem de ser acompanhador. De fato, a profecia se cumpriu e o messias solista apareceu e João e outros optaram pela singela tarefa de acompanhar, pois a arte de acompanhar fertiliza os ouvidos, atiça a multidirecionalidade dos olhos e excita a sensibilidade.

Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a pluri-direcionalidade da vida, portanto, quem quiser pegar o bonde comigo, tome sua cruz (instrumentos) e siga-me". E praticamente todos os discípulos pegaram cada um seu instrumento e sairam empolgados, tocando ao mesmo tempo, em linha reta teologicamente e ideologicamente falando. No caminho em direção à Emaús, encontraram Tomé, conhecido no meio musical da época com Zé Tomilho, pois adorava comer polenta com tutu, e tocar as músicas tortas de Charlie Park e John Coltrane. Pedro empolgado, como sempre, já foi logo tentando converter Tomilho à aderir aquela passeata prá Jesus, no entanto, ele se recusou dizendo: "non, non, nin, non, non, pois toda a linearidade existencial é xula". Houve quebra pau, e esculhambação total. Chamaram Tom de bunda mole, 71, ovelha do malafala, milho franga, peixe velho e todo tipo de desaforos. Quando abaixou o fogo, o Mestre se dirigiu a Tomilho e disse: Tom! agora é sua vez e contra-argumentar. Porque você não quer ir conosco nessa muvuca? Ele respondeu citando Nelson Rodrigues: "Porque toda a unanimidade é burra". E ninguém se arriscou a atirar a primeira pedra. Então o Mestre disse: Boa, bravíssimo Tomilho. Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso. Então Jesus pegou o caminho de Swan e Tomilho seguiu pelo caminho de Guermantes, e se encontrarão um dia, segundo a teoria do eterno retorno do diferente, pois curvo é o caminho da eternidade e toda a verdade é torta.

E os outros? O que fizeram? Ou fundaram uma nova denominação, ou ficaram discutindo sobre a volta dos que não foram.

RESISTINDO AO VESTIBULIABO. Dedicado à SONOPLASLÍDIA

RESISTINDO AO VESTIBULIABO.

Dedicado à SONOPLASLÍDIA



Uma mente que se abre à uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original (Einstein)

Ter fé é dançar na beira do abismo (Nietzsche)



Domingo passado pela manhã, foi dia de bossa prá Lídia e dia 01/02 na segunda feira à noite foi dia de bolo prá Lili. Comemoração em dose dupla, aliás, ela merece, pois é uma mulher top de linha. Nos dois momentos festivos, ela estava linda, perfumada e sorridente, como sempre. Os pais dela foram cumplíces dessas singelas surpresas (Paulo e Mirian conchavos...rs).

Em março de 2008, quando eu fui trabalhar na IPVI, ela me disse: "Joe! tenho um sonho. Quero ser médica. Quero fazer medicina. Tenho feito o cursinho pré-vestibular e estou me preparando com afinco".

Tenho acompanhado essa trajetória de garra rumo à esse alvo tão sonhado. Paulo Coelho escreveu que quando temos um sonho e lutamos por ele, o universo inteiro conspira à nosso favor para que alcancemos esse sonho. Quanto mais a Lídia tenta, mais força ela adquire, pois o poder de Deus se aperfeiçoa a cada tentativa. Nietzsche escreveu que aquilo que não nos destrói, nos fortalece. Por isso digo: "Resisti ao vestibuliabo e ele fugirá de nós".

Nas horas de desânimo, imagino a Lili cantando: Eu te busco, te procuro ò Deus, no silêncio tú estás. É no silêncio da nossa intimidade, nos porões das nossa alma, que encontramos a energia que nos mobiliza a continuar. Nos momentos de comunhão, na torcida e euforia dos amigos, também captamos essa magia que nos atiça a perseverar.

Onde será o destino acadêmico de Lili? Numa Universidade Federal? Numa faculdade particular? No exterior? Só arriscando mesmo prá saber. De onde virá o socorro? Os recursos vem do grande Polvo Universal que chamamos de Deus, pois Ele tem inúmeros braços e envia recursos de várias direções pois ele é multidirecional. O vento sopra onde quer, ninguém sabe de onde ele vem, e nem para onde ele vai. Cabe a nós pegarmos carona nesse fluxo de ventania divina, pois ele nos levará a lugares muito mais além do que pedimos ou pensamos.

Lili! Quando viajares pelos sete mares, Ele enviará o navio apropriado. Quando conquistares a vitória, Ele providenciará um tapete vermelho prá você passar mostrando os saltos e o luxo da fé. Quando atravessares perigosamente o abismo, Ele manipulará a corda, pois ele conhece a elasticidade, as vibrações e os segredos da mesma. Quando estiveres operando o som, Ele ouvirá as frequências mais sutis vindo da pureza do seu interior.Quando ficares dodói, Ele estará presente em meio as dores que nos transformam. Quando sentires presa em sua cela existencial, ele abrirá uma janela e tu deleitarás com as paisagens sagradas, pois Deus é amor no sorriso da flor. A medida do amor é amar sem limites (Santo Agostinho).



Com carinho

Joeblackvan


 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.