Tinha medo dos meus medos...Relatos sobre a Sucuri da afetividade....

Quando eu era adolescente e muito inocente, morria de vergonha todas as vezes em que eu ia beijar na boca de uma garota e meu fuzil ficava duro e evoluía como uma sucuri. Eu atracava labialmente\língualosamente por cima, porém, criava\articulava um certo distanciamento em forma de abismo imaginário por entre a calça e a cueca do bem e do mal...Eu ficava com medo e com vergonha, mas notava que as gurias ficavam alucinadas e contentes. Num belo dia da aleatoriedade da vida, eu me deparei com uma mulher de uns 40 anos...A tal Mulher já tinha sido casada e a primeira coisa que ela bradou quando me beijou foi: Uh! Que lábios carnudinhos....Uh! Porque você tá se esquivando de mim??? Vai me dizer que você não confia na tua benga....Se você não confia, eu confio...e vou fazer você ter confiança e auto estima nela.... Fui contar isto para uma amiga loba (diva da intensidade afetiva) e ela escreveu: "Joe! Desde quando eu nao sabia para que servia, ja era legal....haha". Abraços do Joe..

0 Comments:

Post a Comment




 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.