Prebisterói, Presbiterando. Presbiterializar é se encantar.

Texto encomendado pelo reverendo Marcos Martins (o Salsicha) pr auxiliar de Longuini.
Homenagem ao dia do presbítero

Quando eu cheguei na IPVI, a primeira pessoa com a qual eu me deparei foi com o Paulo Machado, que com sua gentilidade e poeticidade me fez acreditar que ele fosse um reverendo auxiliar. Era uma manhã de sol, dia 02 de março de 2008, e eu começava uma nova etapa de vida. O Longuini me apresentou para a igreja e eu malandramente já procurei saber quem eram os presbíteros porque me atormentaram dizendo que eles eram ‘cães chupando manga“. Então após o culto de estréia, eu me auto declarei e me auto consagrei presbítero júnior e atribui o mesmo título aos seminaristas Rafael galã e Eduardo crise. Acentuei à eles que nossa missão seria adestrar os presbíteros. Eles morreram de rir, mas acharam que eu fui ousado demais.
Após o culto, o Paulo William já me cercou em off no cantinho, e pediu meu telefone, e-mails para fechar acertos de contas com o “tráfico de Cristo”. Ele ainda não me conhecia, mas mesmo assim foi muito gentil e atencioso. Até hoje, PW é um dos nossos, pois quebra o coco e não arrebenta a sapucaia. Ele não deixa a peteca cair quando as turbulências assaltam o Ministério de Louvor na IPVI. PW é gente que faz.
Na segunda feira dia 03 de março de 2008, 24 horas após eu ter me submetido aquele ato heróico dominical, enviei um e-mail para todos os presbíteros me apresentando, dizendo: Presbíteros Seniores! Eu sou o Joe, se liguem porque vem chumbo quente. Foi assim que tudo começou, num ato virtual de risco.
Na semana seguinte me enturmei com o Paulo Luis, chamado carinhosamente e temerosamente de “O MESTRE DOS MAGOS“. A música no coral nos uniu. Depois vi o Carlos Henrique, jovem presbítero de pequena estatura fazendo um solo de forma muito pueril, porém, tímido. Daí me enturmei com ele. Mas depois ele vazou do coral, por motivo de força maior, porque ele era o menor de todos.
Depois foi a vez de eu me encontrar com Seu Levi, que já foi logo explicitando seus dotes lingüísticos, pois é um poliglota. Penso eu, que quando ele for chamado ao sétimo céu, ele ficará do ladinho de Lèvi-Strauss papeando de eternidade em eternidade sobre a antropologia dos anjos.
Meu entrosamento com o Pedro Duvanel seu deu por conta de um envio de um site muito louco que eu criei e enviei chamado www.fromjibtojib.com. Ele decorou de forma espetacular aquele endereço estranho e ficamos super amigos. Pequenas idéias, grandes amigócios.
Bernardino era o mais desconfiado, mais na dele, meio elitizado. Eu achava ele meio bicho do mato, semi arisco, mas carinhosamente chamava-o de Bernadino Din Din. Busquei fazer alianças com ele, e com o tempo a gente foi se enturmando aos poucos até que ele não resistiu ao meu charme maluco beleza e convidou-me para comer um sanduíche de carne assada na casa dele (Sambarilove). Ele ficou muito feliz e chegou a lacrimejar quando viu seu filho Juninho flautilizando com mãos limpas e boquinha pura em seu raro instrumento durante momentos de adoração festejante. O canto junino ficou, mas a flauta vazou. Juninho é liberdade na raiz, autonomia para decidir o que é melhor para ele.
Liberdade é o que a Igreja Presbiteriana exerce, pois ela concede aos membros o poder de decidir via eleição quais as pessoas mais preparadas para ocupar a função de Presbítero, isto é, ser um Presbiterói, um zelador de vidas como assinalava o Apóstolo São Paulo, Timóteo e outros. Esta função exige pessoas com QI (quociente de inteligência para lidar com a diversidade e complexidade administrativa numa comunidade polivalente) e exige também QO (quociente emocional para lidar com as adversidades e turbulências que põem em risco toda a ordem sistematizada do corpo de Cristo na terra de Noel).
Fico muito feliz e sou extremamente grato pela equipe de Presbíteros da IPVI, pois eles são exemplos de competência, sabedoria, adesão ao ministério da escuta, firmeza e flexibilidade quando necessário, apoio à diversidade e novidades, bem como portadores de afetividade- sensibilidade e amicicidade escrachada. Juntamente com o reverendo Luiz Longuini e o reverendo Marcos Martins, eles governam com amabilidade em meio as instabilidades.
Salve os Presbiteróis...É nóis na fita com esses heróis.
Presbiteralizar é se engajar. Presbiteralizar é se encantar; é ir prá uma missão que é amar. Esse sentimento (...)
I have a dream: Gisele presbitera, Josie presbitera, Dona Vera presbitera, Joceli presbítera, Geisa presbítera, Carla Presbítera, Mirian presbítera (aliás, mulher de presbítero presbiterá é) e outras...Mulheres presbíteras já!!!

Um abraço
Joeblackvan e Presbiteros Jr Companhia i-Ltda (Clayton, Eduardo, Alessandro, Rafael, diáconos e afins).

0 Comments:

Post a Comment




 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.