Deleuze e o conceito de Intensidade

O conceito de intensidade está sempre presente no pensamento de Deleuze. Ele intensifica a filosofia genética se baseando em Bergson. Bergson não valoriza o conceito de intensidade, mas Deleuze valoriza a intensidade à partir do conceito de potência em Espinosa.
Deleuze trabalha com a geografia do pensamento que se caracteriza por um espaço pluralista, ontológico, trágico, imanente e ético.
O dogmatismo na filosofia está figurado em Hegel e o pluralismo na figura de Nietzsche.
Para Deleuze, Foucault é um pensador ontológico.
Deleuze é um inimigo da analogia.
A moral é o sistema de julgamento. Julga a vida e julga-a a partir de valores transcendentes à própria vida. Aristóteles fala do conceito de bem. Kant fala do conceito de dever. A moral de Kant é da universalidade e está fundada em valores universais. Moral é um sistema de juízo fundado em valores metafísicos (bem e mal).
O conceito de ética em Deleuze está baseado em Nietzsche e Espinosa. A moral leva em consideração o bem e o dever. A ética leva em consideração a força e a intensidade.
Em PARA ALÉM DO BEM E DO MAL Nietzsche fala da intensificação da vida, do teor da vida. A filosofia é uma transvaloração de todos os valores. Nietzsche propõe que se escape dos valores como eles existem porque eles empobrecem a vida. Heidegger disse que Nietzsche inverteu a filosofia de Platão. Inverter os termos não significa mudar as relações.
Método consiste em subtração e constituição. Deleuze enaltece no outro aquilo que interessa a ele.
Deleuze é adepto dos conceitos de VONTADE DE POTÊNCIA E ETERNO RETORNO de Nietzsche. Para Deleuze, a vontade é o princípio transcendental e a força também é um princípio.
Deleuze faz colagem como os dadaístas fazem. Deleuze faz TEATRO FILOSÓFICO. Em sua filosofia ele procura criar semelhança a partir da dessemelhança (Bacon). Deleuze faz a substância viver a partir de modos.
Deleuze é um filósofo da diferença. Ele rouba conceitos dos outros, pega apenas àquilo que lhe interessa. Como cantava BOB DYLAN: SOU UM LADRÃO DE PENSAMENTOS.
Deleuze desembaraça os conceitos de seu sistema de origem para criar outro. Esse sistema não se fecha.
Deleuze faz o ajuste do desajuste, faz acordo discordante. O que interessa à ele são as relações entre as faculdades. Kant fala de SENSIBILIDADE, IMAGEM, ENTENDIMENTO E RAZÃO.
Godard fez o cinema pensar. Deleuze transforma o real em imagem.

0 Comments:

Post a Comment




 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.