Monge: lá longe!!!

Monge:lá longe
Por Joevan Caitano (Joe)
(joevex@hotmail.com)


“A gente só leva da vida, a vida que a gente leva” (Tom Jobim).
“Desperdicei o meu tempo, agora o tempo desperdiça a mim” (William Shakespeare).
“Todo homem que lê demais, usa o cérebro de menos, por isso adquire a preguiça para pensar e agir” (Albert Einstein).
“O homem é feito visivelmente para pensar; é toda a sua dignidade e todo o seu mérito, e todo o seu dever é pensar bem” (Blaise Pascal).
“O pensamento é a ação ensaiando” (Sigmund Freud).
“Indo por todo o mundo anunciando o amor a toda a criatura” (Texto Bíblico de Marcos 16.15).


Quando visitei um mosteiro pela primeira vez eu me emocionei com a singeleza, a pureza do local. Ouvi aqueles monges cantando a capela, o som do órgão na missa, enfim, foi uma experiência indescritível num ambiente sensível. Troquei umas idéias com alguns monges, e eles me falaram de uma vida de reclusão para a meditação para elevar a consagração. Naquele mosteiro, eu comecei a relembrar dos mosquiteiros que utilizei quando morei no interior do Estado do Pará. Lá, é muito comum uns mosquitos chamados de PIUN, principalmente em regiões de garimpo. A gente precisava, dormir enclausurados nesses mosquiteiros se não a gente acordava cheio de furinhos igual um morador que dorme desprevenido num morro como do salgueiro.
Você já imaginou um bando de monges saindo do mosteiro e subindo para cantar samba no morro do Salgueiro? Faz sentido isso num contexto brasileiro e que dirá carioca. Lembrei-me de um texto onde Jesus falou para geral: Pessoal! Se liguem! Pois vocês são o sal da terra, e luz do mundo. Para vocês serem úteis, vocês precisam sair dos seus saleiros e aventurarem em outros terreiros. Vocês precisam ser temperos salgando na medida certa os diversos pratos. Se vocês ficarem mofando no saleiro, vocês servirão apenas para ser pisados. O que não serve, o ser humano descarta.
Jesus ainda deu outra dica: Vocês precisam ser a luz do mundo. Vocês não podem ficar escondidos para iluminar uma cidade. É preciso estar num local estratégico, ser oportunista, e ser proativo. O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e sobre estes resplandeceu a luz. Jesus disse: Pessoal, eu fiz minha parte, iluminei com a luz do meu amor, mas a partir de agora, eu espero que vocês reflitam e propaguem esse foco de luz. É só agir então. Arnaldo Jabor diz “que tudo vai melhorar, quando os homens de bem agirem mais rápido do que os canalhas”. O mundo ainda jaz no maligno, mas precisa sambar no divino.
Rousseau disse que “a natureza fez o homem feliz e bom, mas a sociedade deprava-os e torna-o miserável”. Essa miséria nos acomoda e nos cega. Corremos alegres para o precipício, quando pomos pela frente algo que nos impeça de o ver. “Os homens convivem com os escândalos como se fosse o seu pão de cada dia” (Tiago de Melo). Que pena isso! Pior é que o mundo está cheio de boas citações, só falta aplica-las. Isócrates dizia: “Reflete com lentidão, mas executa rapidamente tuas decisões”. É preciso proatividade e isso é possível porque todos os homens são úteis à humanidade pelo simples fato de existirem. “Viver é o oferecer o nosso corpo à realidade que nos envolve” (Rubem Alves). Viver para oferecer o amor porque o amor não tem idade, pois ele está sempre nascendo. “Amar alguém é vê-lo como Deus o concebeu” (Feodor Dostoievski).“Quem não têm para quem se dar o dia é igual a noite. Tempo parado no ar. Mas quem ama, vive a sonhar”. (Djavan). A nossa postura diante da vida, diz tudo. Melhor que fale por nós a nossa vida, que as palavras.
“Amanhã outro dia, lua sai ventania; abraça uma nuvem que passa no ar, beija, brinca, deixa passar (...) eu quero ver o pôr do sol, lindo como ele só, e ver gente pra ver e viajar no seu mar de raio” (Djavan). Muitas pessoas são frustradas porque não sabem curtir a vida de verdade, pois se trancam em seus aposentos existenciais e se esquecem dos momentos celestiais que a vida oferece. O texto de Gênesis diz que Deus soprou nas narinas do homem e ele ganhou o espírito santo da vida. Pneuma no grego é vento. O vento sopra aonde quer, ele quer a liberdade, ele pede passagem, ele desfruta da sua originalidade que é gerar a vida e vida em abundância. O texto bíblico diz que aonde abundou o pecado, superabundou à graça. Todo fechamento para o novo é um pecado contra espírito santo da abertura mais linda, mais cheia de graça que vem e que passa num doce balanço e a novidade se faz.
“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original” (Einstein). Diante dessa abertura revolucionária, o indivíduo é promovido devido a flexibilidade e sensibilidade, mas a adesão ao novo sempre gera conflitos pois grandes almas sempre encontram oposições de mentes medíocres, mas essas dificuldades e obstáculos são fontes valiosas de saúde e força para qualquer sociedade. Tom Jobim dizia: “O artista nunca deve rebater as críticas, deve analisá-las e continuar produzindo e se abrindo as novidades”. Pascal dizia que “quanto mais inteligente um homem é, mas originalidade encontra nos outros. Os medíocres acham toda a gente igual”.
“Estar cheio de vida é respirar profundamente, mover-se livremente e sentir com intensidade” dizia o psicólogo Alexander Lowen. O poeta Tiago de Melo diz que “a liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, e que não há ninguém que explique, e ninguém que não entenda”. Temos livre arbítrio para decidir agir ou não em favor do bem estar da vida. Lembre-se: “Só existem dois dias no ano que você não pode fazer nada por você e pelos outros: Ontem e amanhã” (Dalai Lama). O amor alivia como a luz do sol depois da chuva. Precisamos colocar um pouco de paraíso na vida dos outros todos os dias. Aristóteles dizia que “a felicidade é ter o que fazer, ter algo que amar, e algo que esperar”. Lembre-se: Não é nenhuma vergonha ser feliz; vergonhoso é ser feliz sozinho (Albert Camus). É impossível ser feliz sozinho, reforçava o Tom Jobim.
Mas como ser feliz num país onde as palavras não condizem com os fatos? O que salva nossa terra não é a fé, mas a fé na desconfiança. Até quando ficaremos levando porrada? Até quando ficaremos sem fazer nada? Até quando seremos saco de pancada? Observe a dica do Gabriel Pensador: “Pensa! O pensamento tem poder. Mas não adianta só pensar. Você também tem que dizer! Diz! Porque as palavras têm poder. Mas não adianta só dizer. Você também tem que fazer! Faz! Porque você só vai saber se o final vai ser feliz depois que tudo acontecer. Não adianta olhar para o céu com muita fé e pouca luta”. Infelizmente, somos escravos da nossa própria falta de atitude.
Freud dizia que “o pensamento é a ação ensaiando”. Precisamos escutar os segredos da ação. É no silêncio de nossos mosteiros, no intervalo entre duas palavras que se ouve a voz se um ser que nos fala: Vai meu monge, vai para longe, longe da comodidade e entre no bonde da atividade, da instabilidade, da reciprocidade, da afetividade. Deixe o mosteiro e seja aventureiro, suba os montes, do salgueiro, vai para juazeiro, quem sabe atue como enfermeiro, curandeiro. Atente-se para o seu próximo, mas lembre-se que “o seu próximo é também o vizinho do vizinho” (Nietzsche).
1. Dispersando por todo o mundo liberando o amor a toda a criatura.
2. Aventurando-se por todo o mundo curando os ferimentos de toda criatura.
3. Arriscando-se por todo o mundo e denunciando o mal de toda a criatura.
“Nunca nada grandioso no mundo foi feito sem uma grande dose de paixão” (Hegel).

0 Comments:

Post a Comment




 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.