Sacerdócio: doação ou exploração?

SACEDÓCIO: DOAÇÃO OU EXPLORAÇÃO?
Por: Joeblack (joevex@hotmail.com)

Numa das aulas de Elementos da Composição na UFRJ o professor me disse: Joe! Se liga! Existem várias maneiras de você começar uma obra musical. Nessa obra OPUS SACERDOTAL eu resolvi começar usando Nietzsche. Já que Nietzsche era filho de pastor, vou aproveitar e falar sobre a nova modalidade de pastores na atualidade, os famosos: SEMI DEUSES, SANGUESSUGAS DO ALÉM.
Lembrei-me de um trecho que li em ASSIM FALOU ZARATRUSTA sobre os pregadores da morte onde Nietzsche dizia que a terra está cheia de pessoas a quem se devia pregar que desapareçam da vida, por os discursos delas estragam a beleza da vida porque pregam que nos prazeres, é necessário a mortificação em excesso, no entanto, não há uma mortificação na presunção, no orgulho, no desejo de poder, no desejo de apossar-se de todo o crédito, etc. Que pena! Mas muitos são assim, existe claro, as exceções.
O sacerdote quer fazer com que ele próprio seja considerado o tipo mais elevado de ser humano, para que ele domine, para que seja invulnerável e incriticável, e com que ele seja o poder mais forte na comunidade, absolutamente insubstituível. Ele se utiliza de meios como: Só ele sabe das coisas; só ele é virtuoso; só ele tem o máximo controle sobre si mesmo; só ele, em certo sentido, é deus e retorna à divindade; só ele é o intermediário entre deus e os outros e ainda diz: A divindade pune todo prejuízo, todo pensamento voltado contra o sacerdote. Eles estragam o tesão dos outros. Como tornar penoso aos seres humanos algo agradável? Nada menos que o tornando desagradável para eles. É preciso misturar e acrescer o pecado: primeiro artifício do moralista e depois acrescenta-se o castigo (inferno). Erguem-se o duplo muro: a revelação e a tradição, ambas, são mais importantes do que as pessoas. Pregam a perversidade intelectual, alegando que o conhecimento é perigoso, aliás, sexo e pensamento são os 2 grandes inimigos da igreja. O primeiro “capetinha” gera a explosão do indivíduo para a vida, o segundo abre as janelas e os raios iluminam a escuridão da ignorância que impede a manipulação e o discurso de controle. Muitos têm ódio à verdade, porque esta impede o adestramento do outro. O acesso à verdade gera a possibilidade de questionamento e sacerdotes temem serem questionados diante de atitudes arbitrarias e muitas vezes sem coerência (não quando a verdade é suja, mas quando ela é pouco profunda é que o homem cognoscente entra de má vontade na água). Muitos mentem (os homens que não precisam mentir muito exageram dizendo que mentem pouco), e eles fazem isso porque não tem caráter (O relacionamento com os homens corrompe o caráter, especialmente quando não se tem nenhum). Rejeita metas, tarefas em que ele não seja o primeiro a ter vantagens. Outros são sem vergonha e querem não apenas falar sobre tudo como também julgar e ainda se consideram superiores aqueles que possuem fraquezas. Muitos atuam como parasitas, vivendo às custas da vida, como alguém que tenta desmentir e desmontar a realidade mentindo como inimigo dos grandes estímulos instintivos da vida. Eles estimulam o lento suicídio de todos e chama isso de “vida em abundância”.
O Bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas disse o grande Jesus. Ser um bom pastor implica em se auto consumir pela vida dos outros. Implica em estender a mão para aquele que está no fundo do poço para trazê-lo de volta á superfície e colocá-lo em terra firme. Implica em deixar os holofotes para estar perto das ovelhas (presença). Implica em ouvir sem stress o universo do outro. Cada pessoa é um livro com título, cor e conteúdo diferente. Temos a mania de ler o título, ignorar o conteúdo devido a nossa preguiça e impaciência e ainda julgamos na última página com a tinta das nossas grafites moralistas. Enfim, borramos tudo, estragamos vidas, rasgamos os livros (pessoas). Infelizmente, o que vemos são sacerdotes sanguessugas que usam o nome de Deus e as plataformas para sugar o semelhante e ficam obesos de tanto comer e beber às custas do “pecado” dos outros (fartura hedionda). Devoram a carne do outro e nem espera o alimento digerir-se e continuam sugando sem parar. O bom pastor se recusa a ser o dedo soberano de Deus; Evita se auto engrandecer pois falar muito de si mesmo também é um meio de se esconder. O bom pastor corrige, mas a correção é feita com base no amor sincero e não com segundas intenções. O bom pastor é humilde, e reconhece as suas limitações como um ser humano normal pois, não passa a idéia de um SUPER HOMEM mas, mostra claramente que é simplesmente um homem de Deus. Mas cuidado: dinheiro, poder e prazer podem mudar a cabeça de qualquer ser humano, portanto, se policie. É preciso ser um mar para acolher dentro de si uma corrente suja sem se sujar. Devemos ficar RELAX porque não somos mar, somos pessoas de carne e osso, somos vulneráveis a falhas. Não é fácil ser humilde porque a humildade tem o pêlo mais duro.
O Bom pastor não abusa da mansidão e boa vontade das ovelhinhas. Ao invés de aderir ao slogan DEPENDÊNDIA, eles utilizam a marca da INTERDEPENDÊNCIA e essa adesão faz a grande diferença porque ao invés de fecundarem animais domesticados, adestrados e escravizados, procriam-se animais animados, fortes, pró-ativos e com uma visão crítica de mundo. É preciso perder o medo de dar as ovelhas o alimento sólido, vitaminas de primeira, para que elas possam ser robustas e capazes de encarar a vida. É preciso ensiná-las a pensar para que não sejam escravas da própria liberdade. A inocência é legal, mas é preciso alternar com a malícia do universo crítico porque o Inimigo anda como um leão buscando a quem possa tragar, por isso é preciso ter olhos por detrás da cabeça. É preciso ser criança, mas é preciso agir como adultos também porque a vida é uma viagem. A vida é um misto de parquinho florido e selva com animais perigosos. Nossa vida precisa ser mais perigosa, e quem não arrisca não vence.
Diga não ao parasitismo sacerdotal, mas valorize aqueles que são de fato: BONS PASTORES.

0 Comments:

Post a Comment




 

Copyright 2007 | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by André Monteiro.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.